Congresso aprova projeto que libera R$ 3 bilhões no orçamento – Exame

O governo concordou em liberar R$ 220 milhões para a Educação entre o final de outubro e o início de novembro

O Congresso Nacional deu aval a um projeto que abre um crédito extra de R$ 3,041 bilhões no Orçamento, facilitando o pagamento de emendas parlamentares. A proposta foi aprovada pelos deputados em sessão conjunta do Congresso Nacional na noite de terça-feira, 8, e pelos senadores nesta quarta-feira, 9. O texto foi enviado pelo governo ao Congresso durante a tramitação da reforma da Previdência na Câmara.

No dia anterior, senadores e integrantes da oposição tentavam obstruir a votação da proposta. Em acordo com o governo, o movimento foi revertido.

O governo concordou em liberar R$ 220 milhões para a área da Educação. O valor será repassado entre o final de outubro e o início de novembro por meio de um novo descontingenciamento no orçamento ou com o envio de um projeto abrindo um crédito extra nesse valor, de acordo com o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE).

Integrantes do grupo “Muda, Senado” afirmam também que, no acordo, a Câmara deverá analisar o projeto que restringe o foro privilegiado.

A proposta foi aprovada pelo Senado em 2017 e permite o foro por prerrogativa de função apenas para os presidentes da República, da Câmara, do Senado, e do Supremo Tribunal Federal, além do vice-presidente da República. Como o projeto dos R$ 3 bilhões interessa aos deputados, senadores afirmam ter garantias que o fim do foro será destravado na Câmara.

Na sequência, o Congresso Nacional vai votar a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). Um dos pontos que levanta polêmica – e que terá uma votação separada – é o reajuste do salário mínimo para o ano que vem, que, pela proposta, não terá aumento real, mas apenas compensação inflacionária.

Fonte Oficial: Exame.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!