Enquanto Senado vota Previdência, Câmara discute a dos militares – Exame

O projeto aumenta para 35 anos o tempo mínimo para o militar ir para a reserva

Brasília — Na tentativa de chegar a um acordo que garanta a votação da reforma da Previdência dos militares na Comissão Especial, o relator do texto, Vinícius Carvalho (Republicanos -SP), apresentou nesta terça-feira alterações no seu relatório reivindicadas por Estados e policiais militares.

Na casa ao lado, o Senado, parlamentares votam o texto da reforma da Previdência para o regime geral dos trabalhadores em segundo turno.

A sessão da Comissão Especial foi suspensa neste início de noite porque há sessão no plenário da Câmara. Uma sessão extraordinária foi convocada para depois do plenário para votar o texto. “Ânimo é votar ainda hoje”, disse Carvalho.

A votação na comissão é terminativa, mas, como antecipou o Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, a oposição deverá apresentar um requerimento para que o texto vá a votação em plenário.

Uma das alterações é a previsão de que as alíquotas de contribuição previdenciária previstas no texto poderão ser alteradas a partir de 1º de janeiro de 2025 pelos entes federativos.

Foi incluída a previsão de que a alteração na alíquota, por lei ordinária, só poderá ser feita pela União também a partir dessa data, o que, segundo o deputado, foi feito para garantir a simetria nas regras.

Outra mudança foi a previsão de um “pedágio” mais suave para os militares de Estados em que a regra atual prevê a aposentadoria com 25 anos de serviço. De acordo Carvalho, isso vai beneficiar policiais militares de 15 Estados, principalmente mulheres.

O projeto aumenta para 35 anos o tempo mínimo para o militar ir para a reserva. Quem já está na carreira, no entanto, pagará um pedágio e deverá trabalhar 17% sobre o tempo que falta hoje para chegar aos 30 anos.

Para os Estados em que a regra é que os militares vão para a reserva com 25 anos, uma nova transição foi criada, como antecipou o Broadcast. O tempo subirá 4 meses a cada ano, até chegar a 30 anos.

Fonte Oficial: Exame.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!