Venda de armas aumenta 4,6% no mundo – Isto É

Com 420 bilhões de dólares, o volume de negócios dos cem principais fabricantes de armas do mundo, analisados no estudo, está em pleno crescimento – AFP

A venda de armas aumentou 4,6% em 2018 no mundo, em um mercado dominado pelos Estados Unidos, revela um informe do Instituto Internacional de Estudos para a Paz de Estocolmo (Sipri), que será publicado na segunda-feira (9).

Com 420 bilhões de dólares, o volume de negócios dos cem principais fabricantes de armas do mundo, analisados no estudo, está em pleno crescimento graças à vitalidade do setor nos Estados Unidos.

À frente do pelotão está a indústria do armamento americana, que representa 59% do mercado e um volume de negócios de 246 bilhões de dólares, um aumento de 7,2% com relação ao ano anterior.

“Trata-se de uma alta significativa em um ano, levando em conta o nível já elevado da venda de armas americanas”, destaca a diretora do programa de armamentos do Sipri, Aude Fleurant, à AFP.

As empresas americanas se beneficiam da estratégia da administração Trump, que quer modernizar sua defesa para reforçar sua posição perante Rússia e China.

A Rússia, por sua vez, se mantém na segunda posição da classificação dos principais produtores de armas, com 8,6% da cota de mercado, à frente do Reino Unido (8,4%) e da França (5,5%).

Na Europa, é preciso levar em conta duas empresas intercontinentais: Airbus e MBDA, que se beneficiam de uma demanda crescente devido aos “conflitos armados em curso e tensões importantes em várias regiões”, indica Fleurant.

O estudo não considera o caso da China, para quem os dados disponíveis são insuficientes, mas o Sipri considera que o país poderia ter de três a sete empresas no Top 100.

Desde 2013, a China dedica 1,9% de seu PIB à defesa.

A Almaz-Antey, primeira empresa russa do Top 100, está em nono lugar com um volume de negócios de 9,6 bilhões de dólares (+ 18% em relação a 2017), um avanço de 15 posições desde 2009.

“Este aumento se explica não apenas pelo vigor da demanda nacional, mas também pelo crescimento contínuo da venda de armas a outros países, em particular as exportações do sistema de defesa aéreo S-400”, destaca o informe.

Na Turquia, a indústria armamentista se sai bem, com duas empresas no Top 100 e um volume de negócios em alta de 22% em um ano por um montante de 2,8 bilhões de dólares.

O país, envolvido em um conflito armado de longa duração com os curdos, está “motivado pelo objetivo de ser independente no setor do armamento e desenvolve capacidades de produção em todos os setores: sistemas terrestres, aéreos, navais, mísseis, etc.”, destaca a especialista.

Desde 2009, o primeiro fabricante mundial de armas continua sendo o americano Lockheed Martin (47,3 bilhões de dólares de receita), cujas vendas representam 11% das ventas totais de armas no mundo.

Fonte Oficial: Isto É.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!